Programa de resistência às drogas da Polícia Militar está em outras sete unidades escolares em Volta Redonda

Cem alunos do 5º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Professor Lund Fernandes Villela receberam certificado de conclusão do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. A cerimônia de formatura, na quadra poliesportiva da unidade, que funciona no bairro Santa Cruz, reuniu estudantes, professores e familiares.

O instrutor do Proerd na Escola Lund, o soldado da PM Fabrício Gliosci, informou que o programa permanece por seis meses dentro da escola. As crianças recebem o material e há uma didática preparada pela coordenação do programa, no Rio de Janeiro, que deve ser seguida.

“O Proerd tem 26 anos e já formou mais de 1,5 milhão de alunos em todo estado. A ideia é afastar o jovem das drogas, ilícitas ou lícitas, e torna-lo multiplicador dessa atitude”, explicou, lembrando que o programa é voltado para o 5º ano por avaliação de psicólogos e pedagogos, por conta da faixa etária dos alunos, em torno dos 10 anos. “É nessa idade que as crianças começam a ter novas experiências e mais liberdade como ir para escola sozinhos”.

A sargento Flávia Soares Heringer Meireles, que é coordenadora Técnica do programa, acrescentou: “ficar longe das drogas e do álcool e incentivar as pessoas a fazerem o mesmo, além de lições como não praticar o bulling e evitar que ele aconteça são temas abordados com os alunos. Deixamos claro que boas escolhas fazem um bom cidadão”.

A diretora da escola, Elisete da Silva, elogiou a iniciativa da Polícia Militar e afirmou que acredita no resultado do programa. “Estou há dez anos como diretora dessa unidade escolar e há oito recebemos o Proerd”, contou. Ela completou, dizendo da importância da presença dos pais no momento da formatura, “já que o esforço para manter as drogas afastadas deve ser uma parceria entre a escola e a família”.

Uma das atividades de encerramento do Proerd é escrever uma redação com o que aprenderam no programa. Cada uma das quatro turmas teve um texto considerado o melhor, que foi lido durante a cerimônia de formatura. Letícia, de dez anos, estava com a tia Fernanda de Oliveira Andrade, e leu com orgulho a sua redação selecionada. “É importante avaliar os riscos para tomar decisões responsáveis. E, assim, vamos sempre dizer não às drogas”, disse a menina.

Simone Francisca da Silva estava com o filho Everton, também de dez anos, e parabenizou a escola pela presença do programa. “Eles têm uma didática especial para falar de um assunto sério. Everton chega todo os dias em casa, cantando a música do programa e acabamos todos cantando e assimilando as lições”, falou Simone.

A secretária de Educação de Volta Redonda, Rita Andrade, afirma que as portas das escolas do município estarão sempre abertas para o programa. “Mais do que ensinar disciplinas, temos que preparar nossos alunos para o dia a dia. A atual gestão incentiva as parceiras que beneficiam a sociedade”, afirmou.

O prefeito Samuca Silva acredita que o Proerd é um programa de prevenção ao uso de drogas que forma cidadãos mais conscientes. “O juramento feito pelas crianças ao final do curso mostra essa preocupação. Os alunos se comprometem a pensar e medir as consequências dos seus atos antes de tomarem qualquer decisão, assim ficam longe das drogas e da violência. Essa é uma lição para a vida”, afirmou o prefeito.

Ele lembrou que a Prefeitura de Volta Redonda também desenvolve ações de prevenção às drogas nas escolas por meio do programa Escola Preventiva, da Coordenadora Municipal de Prevenção às Drogas (CMPD), que atende alunos de diversas idades e faz palestras para os familiares. “O Cuidando de Quem Cuida, conversa com os pais de alunos, o PAES (Projeto de Arte, Educação e Saúde) é voltado para alunos dos anos iniciais – creche até o 5º ano do ensino fundamental. Já o CCV (Conectados com a Vida) atende adolescentes e jovens”, ilustrou o prefeito.

MAIS FORMATURAS – Ainda nesta semana, outras duas escolas de Volta Redonda formam turmas do Proerd. Nesta quarta-feira, dia 10, alunos da Escola Professora Antonietta Motta Bastos, no Conforto; e na sexta-feira, dia 12, é a vez dos estudantes da Escola Municipal João Haasis receberem o certificado.