Audiência Pública discute políticas para a população em situação de rua em Volta Redonda

0

A prefeitura de Volta Redonda realizou na noite desta segunda-feira, dia 10, uma audiência pública com o tema Políticas Públicas de Proteção às Pessoas em Situação de Rua. O encontro foi realizado no Plenário da Câmara de Vereadores e teve como objetivo mobilizar e integrar esforços em prol da população que vive nas ruas.

Estiveram presentes o secretário de Ação Comunitária de Volta Redonda, Marcus Vinícius Convençal; a subsecretária municipal de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Renata Lopes; o presidente da Câmara, Édson Quinto; a subsecretária de Estado de Desenvolvimento Social, Dianne Arrais; o subcomandante da Guarda Municipal de Volta Redonda, Rogério Soares; o assistente social, Marcelo Jaccoud da Costa; e o defensor público, Claudio Luiz dos Santos.

“É a primeira vez que uma audiência pública tem como assunto as pessoas em situação de rua. Precisamos desconstruir esse preconceito. Estamos aqui para buscar uma solução. Minha premissa será sempre o respeito, vamos unir nossas forças e fazer a diferença”, disse o presidente da Câmara, Edson Quinto.

O secretário de Ação Comunitária de Volta Redonda, Marcus Vinicius Convençal, agradeceu a presença de todos. “É uma realidade que acontece há anos, mas devido a grande crise financeira que nosso país enfrenta a gente tem percebido que o número de pessoas em situação de rua aumentou bastante. A gente foi pras ruas para tentar entender o que estava acontecendo. O prefeito Samuca Silva, criou um Grupo de Trabalho para buscar soluções para essa situação”, contou o secretário.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, frisou a importância de discutir o assunto e disse que é importante saber o que as pessoas querem do poder público. “Quero parabenizar a todos que fazem parte do grupo de trabalho, foram sete meses árduos para construir um plano. E entendemos que a gente precisa da participação de toda estrutura da prefeitura. A ideia quando criamos o GT era pensar no que ainda não foi pensado. Achar uma forma de devolver a dignidade para essas pessoas”, afirmou o prefeito.

Para a subsecretária de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Renata Lopes, que estava representando a secretária da Pasta, Dayse Penna, as pessoas têm que se deixar envolver pelo tema. “Estar na pasta de desenvolvimento humano trouxe uma possibilidade de crescimento pessoal e de ampliar meu olhar de condições que eu desconhecia. Desejo que esse encontro possa envolver a todos a pensar sobre o assunto. E que essa audiência possa nortear caminhos de políticas públicas, priorizando a missão da pasta, que é promover o convívio harmônico entre todas as diversidades”, disse Renata.

Dados apresentados durante a Audiência Pública apontaram que em 2018 foram registrados 23.100 atendimentos para pessoas em situação de rua no estado, para 18 Centros Pop. Sendo que dois deles estão na capital, onde existe cerca de 5 mil pessoas morando nas ruas. Em Volta Redonda, atualmente, existem 90 pessoas em situação de rua e cerca de 80% dessas pessoas são migrantes.

A subsecretária de Estado de Desenvolvimento Social, Dianne Arrais, falou sobre o que representa falar sobre os direitos desses moradores, em um encontro como esse. “Participar de uma audiência pública em Volta Redonda para ouvir da população o que ela espera da construção dessa política pública, é um privilégio. Vocês estão no caminho certo. A situação dessas pessoas é complexa, levou anos até ela chegar a esse ponto, para reverter a situação de rua também vai levar tempo”, comentou Dianne.

O próximo passo é a revisão e execução do plano de ações, que foi divido em quatro eixos de trabalho: assistência; saúde; mercado de trabalho e educação; e cultura, esporte e lazer.