O bebê chegou! Mas e aí… Existe casamento pós-filhos?

“Se filho segura casamento? Segura não. Não consigo entender a mente de quem, um dia, disse isso ao mundo. Filho vem e muda tudo. Muda o corpo, muda os hábitos, muda os gostos, muda a divisão da cama. O mundo passa a girar ao redor de um ser tão pequeno, mas tão grande, ao mesmo tempo. As conversas mudam, as fotos do celular mudam. Filho segura pai e mãe, mas não segura marido e mulher. Quem segura o casamento é o amor. Aquele mesmo amor que a gente promete ser maior que a riqueza e a pobreza, que a saúde e a doença também precisa ser maior que os desafios e as impossibilidades da chegada dos filhos. Mesmo que o abraço de bom dia chegue quase na hora do almoço. Mesmo que a noite tenha sido mal dormida. Mesmo que não tomem juntos o café da manhã. Mesmo que o almoço seja marmitex, de novo, porque ir para cozinha virou mais uma super conquista. Mesmo que não exista tempo para uma série completa. Mesmo que os papos sejam mais sobre fraldas e birras do que sobre nós. Mesmo que a vida tenha mudado. Que o amor seja maior! Que seja mais forte! Que seja tão forte que, em meio a tudo isso, as mãos sempre se encontrem e os pés sempre andem juntos e na mesma direção. No final do dia, o amor sempre vence”.

Tive que tomar emprestadas as palavras acima e começar a coluna desta edição com esse texto magnífico sobre o ‘casamento após a chegada dos bebês’. Não é de autor desconhecido. Sua autoria é bem familiar. Quem o escreveu foi minha irmã do meio – uma delas -, Nayane Millani, que vive a maternidade à flor da pele quase ao mesmo tempo que eu. Não resisti a ele! É simples e verdadeiro.

Como disse nossa pediatra dias atrás numa consulta: Quem disse que ser mãe é coisa fácil? Ok. Ninguém disse mesmo. Ao contrário. É senso comum que essa tarefa é das mais difíceis da vida. Mas aí eu mudo a pergunta: ser mãe, dona de casa, profissional, mulher E ESPOSA é possível? Não é cada hora uma coisa, minha gente! É TUDO JUNTO E MISTURADO AO MESMO TEMPO AGORA!  Se a pergunta está complicada, vamos aos poucos e focar só no último item, por ora.

Nesses onze meses de maternidade, muitas foram as vezes que escutei amigas e novas mamães contarem que, após o nascimento do bebê, entraram em crise no casamento. Ser mulher (ou esposa, como preferirem) de alguém não é coisa fácil. Nunca foi e nunca será. Depois dos filhos, então, tem que ser muito macho (Rs!) pra conseguir dar conta do recado. A vida e a rotina mudam de tal forma que parece não ter mais como arrumar a bagunça. Daí para frente nada será como antes mesmo. O que temos que fazer é encontrar novos jeitos para se trilhar o caminho e chegar ao objetivo final: a felicidade.

Aí você me diz, “Carol, a teoria é mesmo linda… Mas como coloco em prática?”. Não sei. Estou descobrindo da mesma maneira que vocês: tentando, errando e acertando. O que fazemos aqui é pontuar nossas dificuldades e nossas vitórias para provocar reflexão e ação, mostrando que estamos todas no mesmo barco e que a maioria das histórias tem final feliz . Vale a pena tentar!

A casa não estará mais arrumada o tempo todo, as saídas precisarão esperar, as viagens mudarão de destino, o namoro será artigo raro por um tempo, as crises de choro e raiva poderão ficar frequentes e as brigas também. Então, que tal aceitar que tudo isso vai realmente acontecer e encarar com tranquilidade? Casamento é doação, dos dois lados. Ele e você precisam não esquecer disso nunca e fazer do companheirismo um exercício diário. É aquele famoso “se colocar no lugar do outro”. Ou, realmente, quando você olhar pro lado, não vai mais achar o marido que estava ali. E penso que a maioria de nós não quer isso. Procure lembrar sempre das qualidades dele que te enchiam os olhos na época do friozinho na barriga…

Não é só tocar em frente, sabe? É seguir com cumplicidade, parceria, paciência, boa vontade e amor. Ahhhhh, o tal do amor… A responsabilidade cai sempre no colo dele. Mas é por aí mesmo. Sem o amor, a gente não sai do lugar. E o que é ter amor? É ter tudo isso aí em cima. Eu concordo com a Nayane.  Se alguma coisa segura casamento nessa vida, é o amor. Aquelezinho que talvez na turbulência dos fatos você ache que não sente mais. Mas, sente. Se não, você não estaria exatamente aí. Amor pelo marido. Amor pelo filho. Amor por si próprio. Encontre o seu! E vamos viver mais o amor, sem favor!

(Foto Meire Defante)