Carnês do IPTU de Barra Mansa começam a ser entregues na próxima semana 

0

Desconto será de 30% para quem pagar em cota única e de 15% para quem pagar as parcelas em dia; primeiro vencimento será dia 21 de maio

A prefeitura de Barra Mansa, através da secretaria de Fazenda, começará a entregar os carnês do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) na próxima semana. O prazo de validade para os contribuintes pagarem em cota única é dia 21 de maio, mesma data do vencimento da primeira parcela para quem optar em dividir em até oito vezes. O desconto será de 30% para quem pagar em cota única e de 15% para quem pagar as parcelas em dia. O pagamento deve ser feito nas Casas Lotéricas ou na Caixa Econômica Federal.

Ao todo, serão entregues 69 mil carnês. A expectativa de arrecadação para parcela única é de R$ 9,5 milhões. Já a arrecadação das oito parcelas deve render cerca de R$ 5 milhões. Os contribuintes que tiverem interesse em quitar o IPTU de anos anteriores, devem procurar a gerência de Arrecadação no térreo do Campla (Centro Administrativo Municipal Prefeito Luiz Amaral) ou através do telefone (24) 2106-3422.

Por lei, 15% da arrecadação do IPTU vão para a Saúde e 25% para a Educação. O secretário de Fazenda, Éverton Rezende, destacou a importância do IPTU para que a arrecadação seja investida no desenvolvimento do município. “O IPTU é uma das maiores receitas próprias do município que traz inúmeros benefícios para a população como mais investimento em Saúde e Educação e também em segurança, infraestrutura, esporte, lazer e assistência social, entre outros fatores que melhoram a qualidade de vida dos moradores. É uma contribuição importante que traz retorno para a cidade”, completou.

Éverton explicou o motivo pelo qual o IPTU será distribuído a partir de maio. “Nós avaliamos a situação do país e entendemos o período de dificuldade financeira que muitas famílias passam no início do ano com vários impostos e contas como IPVA, matrícula e material escolar. Estendendo este pagamento para maio quem ganha é a população, que tem um prazo maior e terá condições de fazer o pagamento sem prejudicar o orçamento familiar”.

Ele afirmou que o valor seguiu a inflação do ano anterior de 2,93%. “Não houve aumento, apenas uma correção inflacionária prevista na legislação. Em caso de dúvidas, o contribuinte pode pedir a revisão do valor na gerência de Arrecadação”, concluiu o secretário de Fazenda.