Atendimento vem aumentando gradativamente desde o mês de julho

O Centro Municipal de Reabilitação Física Tuffi Rafful (Cemurf) está atendendo com 70% da sua capacidade no Estádio Raulino de Oliveira.  Desde o mês de julho, o atendimento vem sendo ampliado gradativamente e seguindo todas as medidas de segurança. A agenda do setor é reorganizada cada vez que chega uma demanda de forma a atender a todos, em todas as áreas da fisioterapia. O serviço ficou interrompido entre os meses de março a junho em função da pandemia da Covid-19, estava sendo realizado de forma online.

Entre as especialidades, a fisioterapia traumato-ortopédica, respiratória, cardiovascular, neurológica, uroginecológica, além do atendimento aos pacientes com problemas oncológicos. Os pacientes também contam com serviços especializados como acupuntura, RPG (Reeducação Postural Global) e pilates. O centro oferece ainda atendimento para pacientes pós-operatório, que vem direto de trauma, além do atendimento em domicilio, que conta com uma equipe composta por quatro fisioterapeutas.

Todos os usuários são da Atenção Básica ou da rede Especializada de Saúde. Esses pacientes passam a ser atendidos no próprio Cemurf ou são distribuídos para uma das dez unidades básicas de Saúde da Família (UBSF) do município que contam com o serviço de fisioterapia, e funcionam nos bairros Conforto, Eucaliptal, Volta Grande, Siderlândia, Retiro, Vila Mury, Dom Bosco, Jardim Belvedere, Água Limpa e Jardim Tiradentes. O objetivo é que a fisioterapia fique o mais próximo possível do usuário.

A paciente Desoita de Araújo Teixeira, de 53 anos, moradora do bairro Açude II, sofreu uma queda, quebrou o pulso em três lugares e está fazendo fisioterapia. “Tanto o atendimento inicial, quanto a minha avaliação foram ótimos. Estou sendo atendida por uma excelente fisioterapeuta e me sentindo muito bem. Meu tratamento está evoluindo bastante. Quando cheguei aqui estava com três dedos sem mexer e estou voltando a ter movimento. O trabalho aqui é muito bom”, disse a paciente.

Fábio de Oliveira Aguiar, morador do bairro Dom Bosco e responsável por Amanda, de 8 anos, também elogia o atendimento no Cemurf.  “A Amanda sofreu uma fatura no cotovelo, fez uma cirurgia e foi encaminhada para fazer fisioterapia e o agendamento foi bem rápido. Ela está sendo muito bem tratada. Os fisioterapeutas são muito atenciosos, bem educados e tenho certeza que em breve ela estará recuperada”, disse Fábio.

O coordenador do Serviço Municipal de Fisioterapia, Vladimir Lopes de Souza, destaca que o município já avançou em várias questões relacionadas a fisioterapia disponibilizada pela rede pública de Saúde.

 “Já avançamos em várias questões no município dentro da fisioterapia. Primeiro foi a organização dos agendamentos, consultas e atendimentos. Todos os usuários que chegam aqui saem agendados para a sua consulta. Depois da consulta, ele já sai com o dia da fisioterapia agendado, desde o começo até o final do tratamento. O fisioterapeuta consegue definir durante a consulta e avaliação o período e o número de sessões que cada paciente irá necessitar. Além disso, levamos os nossos serviços para os bairros para dar maior conforto aos moradores. O objetivo é evitar que os pacientes precisem se deslocarem até o Cemurf para receber o tratamento”, disse o coordenador.

Wladimir ressalta que o serviço de fisioterapia do município conta também com uma rede de apoio importante, através do convênio com a Apadefi (Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Físicos) e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e do atendimento disponibilizado pela administração municipal no Centro Especializado em Reabilitação (CER III), que atendente os pacientes neurológicos crônicos ou agudos.

Serviço

O horário de atendimento é das 7h às 12h e das 13h às 18h, mas para agendamento da avaliação, o paciente pode procurar o local das 8h às 12h e das 13h às 16h. O Centro de Reabilitação Física de Volta Redonda funciona no Estádio Raulino de Oliveira, na Rua 552, bairro Jardim Paraíba.