Ele assumiu a presidência do Podemos, em Volta Redonda, e é pré-candidato a deputado estadual

O empresário e economista Rogério Loureiro foi convidado pelo Senador Romário para presidir o Diretório de Volta Redonda do Podemos, novo partido político criado com o objetivo de oferecer uma alternativa aos eleitores em 2018. No mês passado, Romário veio à Cidade do Aço para dar posse a Rogério na presidência da legenda e lançá-lo pré-candidato a deputado estadual. Na oportunidade, Romário confirmou que é pré-candidato a governador do Estado do Rio de Janeiro.

Rogério disputou as eleições de 2014 pelo PPS e chegou a ficar como primeiro suplente de deputado estadual. Inicialmente, ele não cogitava mudar de partido, mas aceitou o convite de Romário por acreditar no seu projeto para o Estado do Rio, além de entender que a ideologia do Podemos está mais alinhada ao seu pensamento político.

– Os partidos tradicionais e os políticos profissionais que administraram o Rio de Janeiro nos últimos 20 anos destruíram o Estado. Por isso, precisamos dar uma chance para alguém como o Romário, que é novo na política. Como deputado e senador ele surpreendeu a todos, com sua atuação voltada principalmente para as pessoas com deficiência. Como governador, não vai ser diferente – afirmou.

Durante sua visita a Volta Redonda, Romário também não poupou elogios ao seu novo colega de time, a quem conhece desde a época em que era jogador profissional e Rogério era presidente do Voltaço.

– Convidei o Rogério porque acredito que ele representa as ideias do nosso partido e do nosso projeto para o Estado do Rio de Janeiro. Tenho certeza que ele vai ser um excelente deputado estadual e vai ajudar o estado do Rio nesse momento difícil em que o estado se encontra – afirmou o pré-candidato a governador.

Bate-Bola com Rogério Loureiro

ENTRE ASPAS – Foi publicada na imprensa regional a possibilidade de que o senhor pudesse ser candidato a vice-governador do Romário, o que seria uma boa opção para Volta Redonda e região. Isso pode acontecer?

ROGÉRIO – Eu fico feliz com a lembrança do meu nome, mas estou concentrado na minha pré-candidatura a deputado estadual e também num projeto maior, que é eleger o Romário governador. Essa questão da vice vai ser definida pelo partido mais à frente, dependendo das coligações que poderão ser feitas para eleger o Romário. O mais natural é que o vice venha de um outro partido para somar forças com o Podemos.

ENTRE ASPAS – Muitas pessoas ainda questionam que o senhor como empresário bem-sucedido não deveria se envolver com a política, que passa por um momento de desgaste enorme…

ROGÉRIO – Mas é exatamente por isso que eu estou insistindo na política. Penso que há uma inversão de valores. Muitas pessoas entram na política não com o sentido de contribuírem, mas apenas para se enriquecerem. E quando as pessoas de bem se afastam da política, estão sendo condenadas a serem governadas por aquelas pessoas que gostam e nem sempre são bem-intencionadas.

ENTRE ASPAS – Qual avaliação o senhor faz do momento político no Estado e na região?

ROGÉRIO – Temos um ex-governador do Rio preso e outros três ex-governadores investigados. Três deputados da Assembleia Legislativa foram presos, conselheiros do Tribunal de Contas presos ou investigados. É uma lástima. Isso não vai mudar se continuarmos elegendo os mesmos políticos para os mesmos cargos. É hora de uma renovação total. Eu não tive a minha oportunidade de colocar minhas ideias em prática, e, se eu tiver a honra de receber essa oportunidade da população do Estado do Rio de Janeiro, vou me empenhar para resgatar a credibilidade do estado.

ENTRE ASPAS –  Quais são suas propostas caso seja eleito?

ROGÉRIO – Acho que é necessário resgatarmos a credibilidade do Estado e da classe política para conseguirmos fazer o Estado voltar a crescer e gerar empregos. E, obviamente, como representante do Sul Fluminense, vou trabalhar principalmente para que os empregos venham para a nossa região, que tem uma grande tradição industrial. Precisamos criar também oportunidades de geração de empregos nas pequenas e médias empresas e também através do empreendedorismo. Para que o Rio volte a crescer, entendo que os eleitores do Sul Fluminense devem votar em candidatos novos, que sejam da região.