A estreia do Volta Redonda na Copa do Brasil foi perfeita.  Golaços no estádio Modelão em Castanhal (PA) e vaga garantida para a próxima fase.  Alef Manga marcou duas vezes, sendo que o primeiro foi escolhido como o mais bonito da primeira rodada da Copa do Brasil e Régis fechando o placar e o time da Cidade do Aço  venceu o Castanhal-PA por 3 a 0, com uma atuação coletiva impecável e destaques individuais como o atacante Alef Manga que a cada jogo mostra que é hoje a principal referência ofensiva da equipe. O próximo adversário do Voltaço será o Juazeirense-BA.

Apesar da alegria pela boa exibição, o fato de ter que enfrentar uma verdadeira maratona em tão pouco tempo preocupa, São viagens longas e pouco tempo de descanso para os jogadores. A maratona começa neste sábado contra o Macaé pelo Estadual, três dias após, mas com um dia inteiro de viagem. Na terça feira enfrenta o Resende no campo do adversário, na sexta terá o Fluminense no Maracanã.

Será que os dirigentes da Federação do Rio de Janeiro nunca entraram em campo para disputar um campeonato ? Ou será que eles não conseguem entender que jogador de futebol é ser humano e necessita descanso para continuar produzindo espetáculo e valorizando os campeonatos que a própria entidade promove. Coisas que só ocorrem no Brasil.

Após decepções recentes, Flamengo prega cautela no mercado e busca repetir índice de acertos de 2019

Com o orçamento mais curto e a perda de mais de R$ 100 milhões em função da pandemia da Covid-19, o Flamengo foi obrigado a ter uma postura diferente nesta janela de transferência. Bem mais cautelosa do que a dos últimos anos. Tanto que única contratação até o momento foi a do zagueiro Bruno Viana, que chegou por empréstimo do Braga, de Portugal.

Os recursos limitados para investimentos deixam a diretoria rubro-negra sem margem para erros na hora de contratar. Nesse cenário, o clube se inspira nos acertos de 2019, quando teve um aproveitamento impressionante no mercado: dos nove reforços, oito terminaram a temporada como titulares. Sem dúvidas, esse sucesso fora de campo impulsionou o bom desempenho da equipe de Jorge Jesus rumo aos títulos do Brasileirão e da Libertadores.

Em 2020, no entanto, o panorama mudou e o índice de acertos no mercado foi menor. No total, oito atletas chegaram ao clube no ano passado e a maioria não conseguiu se firmar. São os casos de Michael, Léo Pereira, Gustavo Henrique, Thiaguinho e Pedro Rocha (que já não faz mais parte do elenco rubro-negro).

Entre eles, as situações de Léo Pereira e Michael se tornaram mais simbólicas e retratos do que o Flamengo não pretende repetir em 2021. Tanto o zagueiro quanto o atacante foram contratados por altos preços do Athletico-PR e do Goiás, respectivamente, e não tiveram bom desempenho com a camisa rubro-negra até o momento.

FPF convoca “reunião de urgência” com clubes para discutir futuro do Paulistão

A Federação Paulista de Futebol convocou uma reunião com os clubes da Série A1 do Campeonato Paulista. A pauta será o futuro do torneio, suspenso desde a última segunda-feira por determinação do governo do estado.

Em reunião na última terça, os clubes sugeriram que a FPF buscasse a Justiça para retomar a competição. A entidade, no entanto, buscava outros estados dispostos a receber os jogos antes de judicializar a situação. A quinta rodada, inicialmente, está marcada para acontecer no fim de semana.

Na semana passada, o governo de São Paulo decretou a suspensão das atividades esportivas, inclusive o Campeonato Paulista, de 15 a 30 de março, como forma de tentar conter o avanço da pandemia de Covid-19.

Por causa da paralisação, o jogo entre São Bento e Palmeiras, atrasado da terceira rodada, passou para Belo Horizonte, mas também acabou suspenso – já que o governo de Minas Gerais proibiu a realização de partidas de outros Estados.

André Henning detona CBF por ‘forçar’ viagens em jogos pelo Brasil: ‘Quanta Irresponsabilidade’

O narrador André Henning, do TNT Sports, criticou duramente a CBF em suas redes sociais nesta quarta-feira. Para ele, a Confederação está sendo “irresponsável” ao manter as partidas da primeira fase da Copa do Brasil, gerando viagens e deslocamentos de equipes por todo o país, em meio ao alto número de infectados e mortes pela Covid-19. O jornalista ainda destacou que há filas para vagas nas UTIs.  Essa insistência da CBF e de várias federações em jogar bola nesse momento é inexplicável! Forçar viagens, deslocamento pelo país inteiro… Quanta irresponsabilidade! Alguns dias parado não vai matar o futebol! Há filas nas UTIs! Contaminar alguém agora pode significar a morte!

André Henning tem sido bastante ativo nas redes sociais em relação a assuntos políticos, principalmente a temas envolvidos com a pandemia do novo Coronavírus. Recentemente, 
ele ironizou Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) por atraso em apoio às vacinas contra a Covid-19.

Fluminense é contra a mudança do nome do Maracanã

Em entrevista ao programa Seleção Sportv, na tarde desta quarta-feira, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, revelou que o posicionamento do clube é contrário a mudança do nome do Maracanã. Como justificativa, ele lembrou a importância do jornalista Mário Filho, que dá nome ao local, para construção do estádio.

– A posição do Fluminense é contrária a mudança do nome, eu acho que esse estádio é conhecido mundialmente como Maracanã e como estádio jornalista Mário Filho. Eu acho quem minimamente conhece a história do futebol brasileiro sabe a importância que o Mário Filho teve para a construção do estádio.

– Então, assim, eu acho, sinceramente, sem nenhuma crítica pessoal, nenhuma crítica política, eu não posso me posicionar dessa forma, mas me posiciono como um desportista, que sou. O Maracanã faz parte da história do Rio de Janeiro, e da história do futebol brasileiro do (futebol) mundial.

Mário destacou que o Pelé é o “maior jogador da história do futebol mundial”, mas que existem outras formas de homenagear o Rei do Futebol.

Diretoria do Botafogo  quer revolucionar a administração para retornar a série A

O Botafogo se propõe em 2021 a fazer uma revolução interna. A diretoria eleita no fim do ano passado prometeu mais profissionalismo e menos espaço para decisões amadoras. Nesse sentido, o clube definiu três pilares como norte da gestão: reestruturação, salários em dia e acesso à Série A.

Os três focos, na verdade, são a continuidade e o resultado um do outro. Eficiência na organização financeira e administrativa gerará menos custo, menos problemas para pagar o que deve e um ambiente mais propício para o sucesso esportivo.

Com a definição do novo CEO, Jorge Braga, a principal cobrança será pela redução da dívida. O clube quer evitar demissões, ainda mais em meio à pandemia, mas tudo vai depender da avaliação interna e todos os setores serão reavaliados com o foco de cortar despesas. O desejo é tornar as diferentes áreas rentáveis. Os esportes olímpicos, por exemplo, terão que ser autossustentáveis.

Além do diagnóstico interno, a relação com os credores deve sofrer uma retomada. O vice-presidente Marcelo Barbieri segue à frente do departamento jurídico com a missão de começar novo diálogo para renegociar prazos e valores das dívidas. A esperança é diminuir penhoras e ter mais dinheiro para gerir o dia a dia. O CEO vai avaliar a chegada de mais um profissional para o setor.