Lançada em evento on-line, publicação destaca que a entrada em operação de cada nova unidade de produção poderá gerar R$ 300 milhões em ICMS para o estado e R$ 2 bilhões em investimentos no segmento de downstream

 Rio, 22 de setembro de 2020

 O Anuário do Petróleo no Rio 2020, estudo da Firjan, aponta 200 novos poços em áreas licitadas a partir de 2017 em águas fluminenses; investimentos de cerca de R$ 2 bilhões no segmento de abastecimento até 2024; e arrecadação de R$ 300 milhões em ICMS por cada sistema que entrar em produção a partir da internalização do Repetro Industrialização. O documento foi lançado na tarde desta terça-feira (22/9) em evento on-line com a participação de representantes dos governos federal, estadual e organizações do mercado.

 Durante o lançamento do Anuário, o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, reafirmou a resiliência do mercado de petróleo no país e no mundo, devido aos preços baixos por conta da pandemia. Ele destacou as oportunidades que essa indústria traz para o Rio de Janeiro a partir das grandes reservas de óleo em águas fluminenses, assim como a revitalização dos campos maduros na bacia de Campos, permitindo a entrada de novos operadores.

 “Esse é um mercado que vive ciclos mais curtos, exigindo respostas mais rápidas. O Anuário traz informações que auxiliam o mercado a enfrentar os novos desafios”, afirmou Eduardo Eugenio.

 Produzido pela gerência de Petróleo, Gás e Naval da federação, o Anuário este ano traz uma novidade. Seguindo a tendência de instituições e grandes empresas do mercado, a partir de agora, na página de petróleo do site da Firjan está disponível a plataforma “Dados Dinâmicos”, com informações e tabelas on-line sobre o mercado de óleo do Rio de Janeiro e do país. De fácil navegação, a plataforma será atualizada periodicamente com dados como a matriz energética mundial e cotação internacional do barril; dados de Exploração e Produção nacional, com o histórico de perfuração por estado e por bacia no país; Abastecimento, com produção e venda por tipo de produto, preço dos combustíveis; e dados sobre Reflexos Socioeconômicos, com participações governamentais, mercado de trabalho e arrecadação de ICMS do segmento de petróleo no Rio de Janeiro.

 “O anuário de Petróleo é uma entrega da Firjan para todos aqueles que querem trabalhar esse mercado de óleo. Uma ferramenta de consulta, rica em dados e, nessa versão, com dados dinâmicos, que serão atualizados periodicamente à medida que sejam liberados pelas fontes primárias. Uma base para inteligência de mercado, possibilitando construção de cenários distintos e segmentados para apoio a tomada de decisão. Além disso, referência para projeção de recursos para PD&I e arrecadação de receita pelo estado”, ressalta a gerente de Petróleo, Gás e Naval da federação, Karine Fragoso.

 De acordo como anuário, cresceu a produção de óleo no Rio de janeiro, alcançando a marca de 81% da produção nacional em julho de 2020. Além disso, em 2019 o estado atingiu o índice de 45% dos empregos na cadeia fornecedora de petróleo; e entre 2019-2020 o parque de refino fluminense ficou em 70%.

 Além de Eduardo Eugenio e Karine Fragoso, participaram do lançamento on-line do Anuário, Philippe Blanchard, presidente do Conselho Petróleo, Gás e Naval da federação e presidente na Total E&P do Brasil; José Mauro Ferreira Coelho, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia; Clarissa Lins, presidente do IBP; Raphael Moura, diretor geral interino da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP); Claudia Rabello, subsecretária de Óleo, Gás e Energia do Estado do Rio de Janeiro; e Heloisa Esteves, diretora de Estudos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

 Acesse o Anuário do Petróleo no Rio 2020 no link https://bit.ly/301yKab

 Acesse os Dados Dinâmicos do Anuário em https://www.firjan.com.br/firjan/empresas/competitividade-empresarial/petroleoegas/dados-do-rio/