Fiscalização aconteceu em dez bairros da cidade: Aterrado, Vila Americana, Eucaliptal, São Geraldo, São João, Jardim Amália, Monte Castelo, Retiro, Belmonte e Ponte Alta

Visando o cumprimento integral dos decretos municipais que tratam de ações de combate ao novo coronavírus, a prefeitura de Volta Redonda realizou mais operações de fiscalização através da força-tarefa, composta pela Guarda Municipal, secretarias de Fazenda e de Segurança Pública, Vigilância Sanitária, além das polícias Militar e Civil e Ministério Público, nesse final de semana. A ação serve ainda para promover orientação aos estabelecimentos.

Na sexta-feira, dia 11, a ação aconteceu das 21h até meia noite nos bairros Aterrado, Vila Americana, Eucaliptal, São Geraldo, São João e Jardim Amália e serviu para coibir aglomeração nesses locais, bem como a não utilização de máscaras de proteção. Um bar, no bairro Aterrado, foi autuado por estar usando o passeio público com mesas e cadeiras sem possuir a devida licença.

Nos bairros São João, Jardim Amália e Aterrado três boates foram notificadas para que o responsável tenha ciência de que a atividade de discoteca continua suspensa por tempo indeterminado. Já no bairro Eucaliptal dois bares foram interditados e autuados devido a aglomeração de pessoas na porta do estabelecimento e pelo uso do passeio e via publica com mesas, cadeiras e churrasqueira. Pelos mesmos motivos outro bar foi interditado no bairro São Geraldo.

No sábado, dia 12, a ronda foi realizada no Aterrado, Monte Castelo, São João, Retiro, Belmonte e Ponte Alta. Três estabelecimentos foram interditados temporariamente no Retiro. Todos eles já foram notificados tanto por não evitarem aglomerações quanto ao uso indevido de mesas e cadeiras em via pública e calçadas, além de não possuírem alvará. Esses estabelecimentos também já foram autuados, por mais de uma vez, por diferentes agentes fiscais, no entanto, todos eles continuavam descumprindo os termos legais vigentes e desconsiderando as autoridades municipais.

No bairro Belmonte uma chopperia foi autuada pelo uso indevido de mesas e cadeiras na calçada, sem licenciamento.

O diretor do Departamento de Atividades Econômicas e Sociais da Secretaria Municipal de Fazenda, Wagner Jardim Chaves, afirmou que alguns proprietários alegam que precisam recuperar os meses fechados e, por isso, não têm controle sobre o publico. “Entendemos que a necessidade de gerar emprego e renda nesse momento é importante, mas não se sobrepõe à saúde da população. É preciso que todos os estabelecimentos se adequem ao momento de pandemia, às restrições que decorrem da necessidade de preservar a saúde de todos e às determinações legais do poder público”, disse o diretor.