06 de Agosto

No país que a pandemia é relativizada, que os recursos não chegam e que temos super cidadão, desembargador é pego no flagra novamente.

Esse não toma jeito, vivemos mesmo em um país que a lei vale apenas para alguns, enquanto não aprovarem a lei de abuso de autoridade, cenas grotescas como essa do post de hoje e as que aconteceram mês passado, continuarão a acontecer corriqueiramente.

A figura de um desembargador descumprindo a lei é a degradação total do sistema democrático Brasileiro, àquele que deveria estar dando o exemplo de conduta e de cordialidade, simplesmente rasga o ditame legal e autoritariamente escreve os seus próprios direitos e deveres.

Exemplo de um estado falido pelas mazelas e conchavos, uma tecla que sempre bato é, “O jeitinho Brasileiro é o mau do Brasil”. Enquanto vigorar em nossa sociedade o descumprimento parcial intencional do regramento institucional, seremos um país de bananas.

O quê o Excelentíssimo Doutor Desembargador faz e continuará fazendo, é esfregar na cara da sociedade que ele é parte de uma casta superior, que pra tal agrupamento de pessoas, o estado é meio democrático e só de direitos, sem deveres.

Usar máscara é um ato de cidadão e de empatia, pois pra além de se proteger, é com ela que fazemos um cinturão contra o vírus e todos se protegem. Mas em um país de “bananas”, usar a máscara que é ruim, atrapalha a respiração, te deixa mais cansada e é inequívoco que ninguém gosta, alguns poucos “brasileiros”, irresponsáveis insistem em não usar.

O reflexo disso se vê nas ruas, pessoas de bem, de caráter, inconscientemente se sentem autorizados por esse tipo de atitude e o que uma “autoridade” faz é copiado pelos seus admiradores e ou pessoas que se sentem representadas por aquela figura.

O maior exemplo pra isso é dado pela autoridade máxima desse país, investido da maioria eleitoral em 2018, que lhe conferiu o direito e os deveres de presidir o país, o que ele ignora, esse cidadão que não vou nomear, já chamou a peste de “gripezinha”, “resfriadinho”, exibiu aos quatro cantos o seu “histórico de atleta” e sai pelas ruas, sem máscara, relativizando a gravidade da pandemia e muito provavelmente espalhando o vírus.

Enquanto vigorar no país a cultura do: “Você sabe com quem está falando?”  seremos um país subdesenvolvido, desigual, ambiente fértil para imbecis como os citados ou não citados nos texto!!!