Recuperados, Sérgio e Vilma agradecem a assistência recebida

O Hospital de Campanha de Volta Redonda ganhou 19 batalhas contra o novo coronavírus.  Desde que foi aberto, há cerca de um mês, no local já foram atendidos 41 pacientes. Com apenas dois óbitos, o hospital registra um número muito pequeno de pacientes transferidos.

Um dos pacientes a receber alta na unidade provisória de combate a Covid-19 é o aposentado Sérgio Pereira Gomes, 57 anos, morador do bairro Jardim Normândia, que se internou dez dias após a inauguração do hospital.

“Eu fico até emocionado porque é uma luta grande que todo mundo quer vencer. Tive a sorte de ser atendido por essa equipe maravilhosa. No primeiro dia tive muito medo, mas cada vez que conversava com a psicóloga eu ia acalmando. Fui percebendo que cada profissional ali queria salvar a minha vida e fui acreditando que eu ia sair dessa. Essa doença não é uma brincadeira, é séria”, disse o aposentado, que perdeu o pai de 84 anos, que faleceu em um hospital privado da cidade por Covid-19. 

A dona de casa Vilma Furtado Nepomuceno, 65 anos, moradora do bairro Santa Rita do Zarur, também passou pelo hospital de campanha. “Eu venci, graças a todo carinho e cuidado que a equipe do Hospital de Campanha teve comigo. Fiquei 12 dias internada e tinha dia que eu perdia a esperança. Mas a equipe, muito atenta e comprometida, não me deixava desanimar. Hoje estou em casa e muito bem”, disse dona Vilma, que não tem idéia de como e nem onde possa ter pego a doença. “Por isso, faço um apelo para todos se protejam. Precisamos eliminar o vírus da nossa cidade para que as pessoas que a gente ama não fiquem doentes”, apela.

A enfermeira e coordenadora do Hospital de Campanha, Vanessa de Lima Huguenin, com 22 anos de experiência entre a rede publica e privada, destaca que a equipe do hospital de campanha está empenhada em salvar vidas.

“Estamos trabalhando com muito carinho e empenho para que todos os pacientes possam ter o melhor tratamento possível. O foco e o objetivo é a cura. Nosso índice de cura é muito maior do que o de transferência por agravamento ou de óbitos”, disse a enfermeira.

Com capacidade total de 114 leitos, o hospital de campanha recebe pacientes através de nove portas de entrada: Hospital do Retiro e São Batista, Cais Aterrado e Conforto,  Upa Santo Agostinho e das quatro Unidades de Referência para o tratamento da Covid-19 que ficam nos bairros 249, São João, Volta Grande e Vila Mury.

A equipe multidisciplinar da unidade é composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistente social, fisioterapeuta, nutricionista e farmacêutica, além da equipe de apoio do Centro de Imagem, do Núcleo Interno de Regulação e de higiene, altamente treinada e de fundamental importância.

O prefeito Samuca Silva Silva destaca que a unidade de saúde disponibiliza o atendimento integral do paciente. “Como é uma doença nova, os pacientes ficam muito inseguros e com medo de não se recuperar. Mas nossa equipe multidisciplinar cuida tanto da parte física como da emocional de cada paciente, 24 horas por dia. Além disso, cuidamos também da família, que recebe diariamente um boletim médico, por telefone, do quadro do paciente, uma vez que eles não podem ser visitados para evitar o risco de contaminação”, explica o prefeito.