Na noite de quarta-feira, dia 30, equipe esteve na Vila Santa Cecília, Centro, Aterrado e Aero Clube para prestar assistência a pessoas em situação de rua

A Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), promove busca ativa às pessoas em situação de rua com objetivo de estabelecer vínculos de confiança para ingressarem na rede de proteção do município ou promover a reinserção familiar. O trabalho é realizado, diariamente, pelo Departamento de Proteção Social Especial, que na noite desta quarta-feira, dia 30, assistiu às pessoas já mapeadas pela equipe na Vila Santa Cecília; Centro, na Avenida Amaral Peixoto; Aterrado e Aero Clube. Nesta ação, estavam um assistente social e educador.

A coordenadora do Departamento de Proteção Especial, Mariana Pimenta do Nascimento, explicou que o Serviço de Abordagem Social funciona de segunda-feira a sábado, das 8h às 17h, sendo que às segundas e quartas-feiras, atua no período noturno, das 17h às 21h. “Aos domingos, o serviço funciona em esquema de plantão, atendendo as demandas que surgirem. Três assistentes sociais e três educadores se revezam para prestar essa assistência às pessoas em situação de rua no município”, falou, lembrando que, além das pessoas mapeadas pela equipe no trabalho diário, o serviço atende demandas da população que chegam por meio do aplicativo FiscalizaVR ou pela Central de Atendimento Único (CAU).  

A assistente social Joveline Batista Tomaz, que compôs a equipe que atuou na noite de quarta-feira, dia 30, afirmou que o trabalho monitora as pessoas em situação de rua. “Identificamos as situações de risco social e pessoal. Fazemos a aproximação, ofertando escuta qualificada para construir vínculo com eles. A equipe articula com a rede de serviços socioassistenciais, e demais políticas públicas, os encaminhamentos necessários para essas pessoas”, disse, acrescentando que a ideia é fidelizar os que já utilizam a rede de assistência do município e apresentar os serviços para quem ainda não acessa.

O secretário municipal de Ação Comunitária, Ailton Carvalho, lembrou que o serviço foi intensificado por conta da pandemia da Covid-19, pela situação de vulnerabilidade dessas pessoas. “O atendimento beneficia cerca de 60 pessoas por mês, entre idosos, adultos, crianças e adolescentes. Ele é ofertado de forma continuada e programada, com a finalidade de assegurar o trabalho social de abordagem e busca ativa, que identifique na cidade a incidência de situações de risco pessoal e social, por violação de direitos, como trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes, situação de rua, uso abusivo de drogas e álcool, dentre outras”.

Em caso de aceitação, moradores contam com uma rede completa de assistência. Eles são encaminhados para o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, o Centro POP, que fica no bairro Aterrado e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h; o Abrigo Municipal Seu Nadim, no bairro Nossa Senhora das Graças.

O Centro Pop proporciona serviços de higiene pessoal, alimentação, retirada de documentos, contato familiar e atendimento psicossocial. O Abrigo Municipal Seu Nadim é um espaço de acolhimento provisório para adultos munícipes em situação de rua, encaminhados pelo Centro Pop, para resgatar os vínculos familiares, sociais e comunitários, assegurando a autonomia dos usuários.

O Departamento de Proteção Social Especial, da Smac, conta ainda com o apoio do Consultório na Rua, equipe multidisciplinar, formada por médica, enfermeira, técnica em enfermagem, assistente social, psicólogo, motorista e auxiliar administrativo, ligada à Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde.