Ação fiscalizou número de ônibus nas ruas e cumprimento de horários pela empresa

Equipes da Prefeitura de Volta Redonda reforçaram a fiscalização das linhas municipais de ônibus na manhã desta segunda-feira, dia 30. Com objetivo de garantir cumprimento dos horários e o número de veículos em circulação, a ação ocorreu no primeiro dia útil após apreensão de veículos da Viação Sul Fluminense, concessionária de 31 linhas da cidade, ocorrido no sábado, dia 28.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, afirmou que a operação foi encaminhada para garantir que a população não sofresse transtornos com o transporte coletivo. “A licitação para as linhas de ônibus, ainda operadas pela Sul Fluminense, está marcada para a próxima sexta-feira, dia 04. Mas isso não significa que a empresa poderia deixar de atender a população”, afirmou.

Durante reunião com o secretário de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU), Maurício Batista, e o procurador Geral do Município (PGM), Augusto Nogueira, os representantes da Viação Sul Fluminense informaram que 88 carros foram disponibilizados para atender as 31 linhas nesta segunda-feira, dia 30.

“Estamos trabalhando para melhorar o atendimento. Até a última semana, eram 74 carros na rua. Somente no fim de semana, recuperamos 20 ônibus para voltar a atender a população”, contou o gerente de Tráfego da empresa, Sérgio Bispo.

Maurício Batista informou que, o ideal para que não haja atrasos nas linhas operadas pela Sul Fluminense, é uma frota de 152 ônibus. “Eles estão trabalhando com pouco mais que a metade do ideal”, disse, acrescentando que a fiscalização vai continuar e que dois fiscais da secretaria estão atuando no controle dos horários das linhas no ponto final dos ônibus, na Ponte Alta.

“Além disso, temos acesso ao sistema de GPS dos carros para acompanhar a circulação diária e ainda marcamos uma reunião com representantes da empresa para esta terça-feira, dia 1, na sede da STMU. Eles vão mostrar um relatório do serviço nesta segunda-feira, dia 30, e apresentar solução para substituir os carros apreendidos”, afirmou Maurício.

O morador da Ponte Alta, Paulo Henrique da Silva, trabalha como autônomo no bairro Voldac. “É muito complicado. Tenho sempre que sair mais cedo de casa, pois não posso contar com o horário certo dos ônibus”, falou. Leandro José de Souza, que mora no Fazendinha e trabalha numa empresa no Aterrado, faz a mesma reclamação. “É comum o ônibus atrasar. O das 18h principalmente, no fim do expediente”.

LICITAÇÃO – O procurador Geral Augusto Nogueira informou que a licitação está marcada para a próxima sexta-feira, dia 4. A contratação de outra empresa se tornou possível por conta da publicação, em maio, do Decreto de Caducidade da concessão pela má qualidade do serviço prestado. “É bom ressaltar que está previsto no edital de licitação a absorção dos funcionários da Sul Fluminense pela nova empresa”, disse.