Letra comovente que emociona do início ao fim; composição de Zeca, Caetano e Moreno Veloso

Música de ninar que afaga os corações órfãos em meio ao caos. Não poderia ser diferente, pois a composição é deles dos Veloso. Conheci essa canção faz pouco tempo e me chamou a atenção só não pelo refrão “todo homem precisa de uma mãe”, mas pela voz delicada e pelo reconhecimento da importância feminina na vida de cada homem. Nós mulheres temos o privilégio de trazer ao mundo nossos herdeiros.

Todos nós nascemos de um ventre acolhedor não importa as circunstâncias da cópula. Mães tem o poder de perdoar, de amar incondicionalmente um ser por mais suicida que isso possa ser. Minha referência de mãe, de mulher, sempre foi e continuará sendo minha avó. Mulher guerreira do início ao fim!

Mães poderiam ser imortais para nos dar colo e conselho, para nós gritarmos elas quando sentíssemos apequenados pelo mundo que teme em querer nos engolir. Queria voltar no tempo para sentir mais uma vez a proteção da minha mamãe-vovó, de ouvir uma história antes de dormir com aquele carinho no cabelo. Eu ouvia tudo o que precisava escutar de uma mãe, que saudade.

Voltando a letra…talvez muitos não compreendam a poesia da canção, esse é o grande lance da arte, pois ela é subjetiva. Não conheço a história dessa música, mas me transmitiu uma energia boa.

“O sol, manhã de flor e sal

E areia no batom

Farol, saudades no varal

Vermelho, azul, marrom

Eu sou cordão umbilical

Pra mim nunca tá bom

E o sol queimando o meu jornal

Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe

O céu, espuma de maça

Barriga, dois irmãos

O meu cabelo negra lã

Nariz e rosto, e mãos

O mel, a prata, o ouro e a rã

Cabeça e coração

E o céu se abre de manhã

Me abrigo em colo, em chão”

Fran Bueno