Município implantou projetos para melhorar ambiente de negócios

Uma comitiva da prefeitura de Volta Redonda irá receber, na próxima quinta-feira, dia 26, a premiação pela participação do município no game Cidades Empreendedoras, realizado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). A cidade terminou em terceiro lugar o programa, que tem o objetivo de melhor o ambiente empreendedor das cidades.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, destacou que a participação no programa Cidades Empreendedoras reafirma o compromisso do governo com o ambiente de negócios.

A cidade de Volta Redonda entendeu essa necessidade e implantamos diversas ações para fomentar ainda mais a cultura empreendedora.Tivemos medidas de desburocratizar a prestação dos serviços públicos aos cidadãos, com mais profissionalismo atendendo aos interesses da sociedade. Nós devemos dar oportunidade à população de ter uma melhor qualidade de vida e renda através de políticas públicas bem implementadas”, disse o prefeito.

Participando do programa, a prefeitura de Volta Redonda implantou diversas medidas que visavam melhorar o ambiente empreendedor do município. Sobre desburocratização, por exemplo, a prefeitura implantou o Alvará on line via REGIN e, ainda, integrou cinco órgãos público também ao REGIN: secretarias de Fazenda, Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, além da Vigilância Sanitária e o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPU).

Já no setor de agricultura familiar, a prefeitura realizou uma capacitação dos produtores rurais da região para que pudessem fornecer para a administração municipal. “Atualmente compramos 41% da merenda escolar através da agricultura familiar, sendo que a meta era apenas 30%. Fizemos uma capacitação, junto com a Emater, para fornecimento ao poder público e também sobre melhora na produção”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães.

Entre outras as iniciativas que surgiram pela participação no Cidades Empreendedoras, estão a realização de licitações para Micro e Pequenas Empresas e MEIs e o aumento da participação dessas empresas nas compras públicas superior a 70%; a capacitação de fornecedores e gestores públicos quanto aos benefícios oferecidos pela Lei Geral e o mapeamento dos processos internos do setor de compras e licitações.