Serviço que começou com nove hoje conta com 12 especialidades médicas

Desde que passou a funcionar no Centro Municipal de Saúde de Volta Redonda, o serviço ambulatorial especializado da Policlínica da Cidadania Bernardino de Souza, que funcionava no Estádio Raulino de Oliveira, já disponibilizou 6.017 consultas, além de 1.470 eletrocardiogramas para os pacientes atendidos pelos cardiologistas. A princípio, o serviço começou a atender com nove especialidades médicas. E, atualmente, 12 especialistas como cardiologista, cardiologista para risco cirúrgico, dermatologista, endocrinologista, gastroenterologista, neurologista, nutricionista, oftalmologista, ortopedista, pneumologista, reumatologista e urologista, atendem no local.

De acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), de julho até agora, foram realizadas 1.187 consultas com cardiologistas, 18 com cardiologistas para riscos cirúrgicos, 385 com dermatologistas, 876 com endocrinologistas, 1.092 com gastroenterologistas, 807 com neurologistas, 173 com nutricionistas, 372 com oftalmologistas, 216 com ortopedistas, 41 com pneumologistas, 270 com reumatologia e 160 com urologistas.

O levantamento aponta ainda que 947 pacientes não compareceram as consultas marcadas em todas as especialidades médicas, perfazendo um total de 11,70% de faltas.  Desse total, 207 eram pacientes agendados para os médicos cardiologistas (8,27% de faltas); 102 para dermatologistas (20,04%); 113 para endocrinologistas (20,04%); 230 para gastroenterologistas 17,10%); 125 para neurologistas (11,97%); 34 para ortopedistas (12,01%); 73 para pneumologistas (13,27%); 33 para reumatologistas (9,88%) e 30 para urologistas (13,51%).

As consultas são realizadas através de agendamento com hora marcada seguindo o critério de gravidade. Os pacientes que apresentam maior risco de agravamento do estado de saúde têm prioridade. Cada um dos 38 médicos especialistas é responsável pela regulação de seus pacientes em relação ao retorno ao consultório. Já as consultas de primeira vez são agendadas pelo Sisreg (Sistema de Regulação), também considerando o critério de gravidade. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h.

O aposentado Antônio Luiz Alves, 66 anos, morador do bairro Candelária, elogiou o atendimento recebido. “Eu fazia meu tratamento na Policlínica e, por conta da pandemia, tive meu tratamento interrompido. Agora estou de volta e vi que nada mudou por aqui. O atendimento continua muito bom. Somos acolhidos desde a recepção até durante a consulta. Só tenho a agradecer”, disse o aposentado.

A secretária de Saúde, Flávia Lipke, ressalta que todos os atendimentos são realizados com hora marcada para evitar aglomeração. “Tomamos todas as medidas necessárias para garantir a segurança dos usuários e funcionários. Nossas equipes higienizam os ambientes durante os intervalos entre um paciente e outro, além de procedimentos de higiene na entrada do prédio”, contou a secretária.