Volta Redonda registrou a primeira posição entre os municípios do Sul Fluminense que mais abriram novas empresas em 2020, apesar dos impactos econômicos causados pela pandemia de Covid-19. De acordo com dados da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja), a cidade registrou a abertura de 707 novas empresas entre os meses de janeiro e julho.

Uma dessas empresas é a do microempreendedor individual José Oliveira, de 35 anos, que abriu seu negócio de promoção de vendas em maio deste ano na Vila Santa Cecília. Ele afirma que é a segunda vez que abre uma empresa.

“A dificuldade é que todos nós fomos atingidos diretamente e indiretamente, uns com muita gravidade outros nem tanto. O que ajudou foi a atitude da população em relação ao momento que estamos vivendo. O mercado de promoção de vendas em Volta Redonda é bem competitivo. Minhas expectativas são as melhores. Em breve, quero contratar, expandir e investir mais em minha empresa”, afirmou José.

E a tendência é que o cenário seja de crescimento. Para o presidente da Junta, Vitor Hugo Feitosa, Volta Redonda vem se destacando na abertura de empresas pelas facilidades apresentadas.

“A parceria firmada, como a manutenção da Delegacia da Jucerja em Volta Redonda, permite uma maior acessibilidade dos empresários da região aos serviços de registro empresarial. Além disso, a implementação do alvará automatizado, para as atividades consideradas de baixo risco, possibilita que o empreendedor obtenha, em curto prazo, o registro de seu contrato social, CNPJ, inscrição Estadual e o alvará municipal, que em Volta Redonda é gerado no sistema da Jucerja. Essa visão empreendedora vem alavancando o ambiente de negócio mesmo nesse momento de pandemia”, afirmou Vitor Hugo.

Além do alvará rápido, outras ações adotadas pela administração municipal colaboraram para esse ambiente de incentivo ao empreendedorismo. Dentre as ações, se destacam a implantação do Regin (Sistema de Registro Integrado), que contribui para agilizar o atendimento e ampliar a desburocratização na implantação de novas empresas.

Também foram adotadas outras medidas como o decreto que reconhece o certificado do MEI (Microempreendedor Individual) como alvará; a reestruturação do Banco VR de Fomento – espaço onde o MEI pode tirar suas dúvidas sobre como abrir seu negócio.
“Volta Redonda segue firme no propósito de gerar empregos e oportunidades para incentivar a chegada e a abertura de novas empresas. Com a abertura mais rápida de novos negócios, mais ágeis são as contratações e a movimentação da economia”, explicou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rogério Loureiro.