Município sediará ação, sendo base para cidades como Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença

Na próxima semana, nos dias 23 e 24 de setembro, Volta Redonda será pólo regional de atendimento e capacitação no combate à hanseníase. O “Projeto Roda Hans – Carreta da Saúde”, do Ministério da Saúde, que conta com o apoio do Governo do Estado, acontecerá na Praça Brasil, das 8h às 17h, com toda estrutura focada para a conscientização sobre a importância da identificação precoce de hanseníase. Volta Redonda sediará a ação, sendo pólo para os municípios vizinhos de Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença.

A Carreta da Saúde conta com cinco consultórios e um laboratório que vai percorrer 19 municípios do Estado do Rio de Janeiro. Durante o projeto serão realizadas consultas dermatoneurológicas. Uma equipe fará uma capacitação dos profissionais de saúde dos municípios que tem como objetivo preparar os profissionais de saúde para atuarem no controle da doença e o enfrentamento do estigma da discriminação.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado dos portadores de Hanseníase são condições essenciais para reduzir as consequências sociais e econômicas da doença. “O objetivo dessa ação é capacitar profissionais da Atenção Primária à Saúde para diagnóstico em hanseníase. Com isso podemos diagnosticar precocemente novos casos da doença, estimular a participação da população em geral em ações de promoção à saúde e instigar a formação continuada de profissionais de saúde em relação à Hanseníase. Além disso, vamos informar a população em geral sobre os aspectos clínicos e sociais da doença”, disse o secretário.

O prefeito Samuca Silva ressaltou que Volta Redonda está engajada em contribuir com o Ministério da Saúde nesse processo de prevenção da hanseníase. “O Roda-Hans é uma iniciativa que busca não apenas diagnosticar novos casos da doença, mas também conscientizar a população das cidades por onde passa”, disse o prefeito.

A hanseníase é transmitida pela via respiratória e o tratamento, que varia de 6 a 12 meses, é feito através de medicamentos específicos para a doença. Em Volta Redonda foi realizada, nos meses de junho e julho, uma capacitação para médicos, enfermeiros da atenção básica e agentes comunitários de saúde para qualificar esses profissionais para o atendimento ao paciente doente. As aulas práticas dessa capacitação acontecem durante os dias em que a carreta estiver em Volta Redonda.