O Volta Redonda deu um passo importante para garantir vaga nas finais da Taça Guanabara com a vitória sobre o Boavista igualando em números de pontos com o Flamengo, que a partir da vitória sobre o Bangu colocou em campo todas as suas estrelas valorizando ainda mais a disputa da Taça Guanabara.

A vitória do time da Cidade do Aço premiou o trabalho do técnico Neto Colucci que conseguiu montar um time competitivo mesclado de jogadores de experiência como Bruno Barra, João Carlos , Heitor com jovens promessas como o zagueiro Gabriel Pereira, e os atacantes MV e Caio Vitor que a cada jogo demonstram progresso dando esperança de descoberta de jovens promessas que certamente serão uteis no decorrer da temporada.

A grande estrela da companhia continua sendo o atacante Alef Manga já desperta interesse em grandes clubes e acende o alerta para a diretoria sobre possíveis assédios durante a temporada. Contra o Boavista mais uma exibição de gala e mais dois gols para coleção colocando o time da Cidade do Aço na frente dos demais na corrida para a consagração de um inicio de temporada promissor para os torcedores do Sul do Estado.

Outra boa surpresa do campeonato é a Portuguesa que derrotou o Resende e voltou ao bloco dos quatro superando Fluminense e Botafogo na luta pela conquista do Estadual de 2021. Flamengo líder e Volta Redonda, vice líder seguem como os dois times de melhor aproveitamento no certame.

Clubes brasileiros se manifestam contra ditadura no aniversário do golpe de 1964

Alguns dos principais clubes do futebol brasileiro se manifestaram contra a ditadura militar que esteve em vigor no País entre 1964 e 1985 neste dia 31 de março. A data marca os 57 anos do golpe que depôs o presidente João Goulart e iniciou o período de repressão e ausência de liberdades. Clubes como Corinthians, Flamengo, Fluminense, Vasco, Internacional, Atlético-MG, Bahia e Fortaleza, entre outros, repudiaram a ditadura.

O número de clubes se manifestando representa um aumento em relação aos últimos anos – em 2019, por exemplo, apenas Corinthians, Vasco e Bahia relembraram a data e defenderam a democracia. Contudo, ainda há vários dos grandes clubes que não se manifestam.

Gabigol se torna um dos 40 maiores artilheiros da história do Flamengo

Entra temporada, sai temporada, e uma coisa não muda no futebol brasileiro: quase sempre tem gol do Gabigol. O que já era comum no Santos, ficou ainda mais forte desde a ida do camisa 9 para o Flamengo. A média de bolas na rede, que na época do Peixe foi de 0,4 por jogo, na Gávea já está em 0,68. E não para de crescer.

Na quarta feira contra o Bangu o atacante fechou o placar de 3 a 0 e chegou a 71 gols pelo rubro se tonando um dos quarenta atacantes com mais gols marcados em duas temporadas. Gabriel ultrapassou Silva que em duas temporadas havia marcado 70 gols, mas está longe de alcançar marcas de outros ídolos como Dida, Rubens e Zico os maiores goleadores do clube por temporada. Em 81/82, Zico balançou as redes 143 vezes.

Conselho Técnico da Série A aprova limite de troca de treinadores

No Conselho Técnico da Série A, nesta quarta-feira (24), os dirigentes dos clubes participantes do Brasileirão Assaí aprovaram um limite na troca de treinadores durante a disputa do Campeonato Brasileiro.

Proposta defendida pela CBF há três anos, a regra foi aprovada por maioria e valerá tanto para clubes que queiram demitir seus treinadores quanto para técnicos que peçam demissão de seus times.

“É um grande avanço do futebol brasileiro, que fará bem tanto aos clubes quanto aos treinadores. Vai implicar em uma relação mais madura e profissional e permitir trabalhos mais longos e consistentes. É o fim da dança das cadeiras dos técnicos no futebol brasileiro”, enfatizou Rogério Caboclo. “Significa organização administrativa e planejamento financeiro”, completa o presidente da CBF.

O clube começará o Brasileirão com um técnico inscrito e, caso demita este treinador, poderá inscrever apenas mais um técnico. Em caso de segunda demissão, o profissional substituto tem que estar trabalhando no clube há pelo menos seis meses. Em caso de pedido de demissão por parte do treinador, o clube não sofrerá limitação para inscrever um novo técnico.

O técnico, uma vez inscrito no Brasileirão por um clube, só poderá se demitir uma vez, caso queira treinar outra equipe que dispute a competição. Se pedir demissão novamente, ele não poderá ser inscrito por outro time. Se for demitido pelo clube, o técnico não sofrerá nenhum tipo de limitação quanto à sua contratação por um novo time.

Cruzeiro se livra de nova punição na FIFA em imbróglio envolvendo o atacante Rony e o Athletico-PR

O Cruzeiro anunciou a absolvição em mais um processo na FIFA contra o clube nesta terça-feira, 30 de março. O Departamento Jurídico celeste conseguiu retirar o Cruzeiro de um importante e complexo processo na FIFA, que envolvia outros três clubes e o atleta Rony, atualmente jogador do Palmeiras, com passagem pela Raposa em 2016.
Em 2020, o Cruzeiro foi incluído como réu no processo perante o Tribunal Arbitral du Sport (TAS), no qual foi pedida uma indenização de USD 10 milhões (cerca de 57 milhões de reais) e a aplicação de sanções disciplinares que, no caso do clube, poderiam representar o banimento de registro de novos atletas – transfer ban – por até duas janelas de transferências.

Após meses de trabalhos aprofundados sobre o caso, foi realizada uma audiência internacional nos dias 18 e 19 deste mês, conduzida por um painel de três julgadores (um inglês, um italiano e um português). Após a análise dos profissionais do painel, o Cruzeiro foi comunicado na última semana sobre sua total absolvição no caso e não precisará pagar nenhum valor e muito menos terá que cumprir qualquer sanção.

O clube mineiro se livrou dessa, mas existem ainda alguns processos pendentes que ainda não foram julgados envolvendo transferências e direitos sobre atletas. Um dos processos ainda sem solução diz respeito ao meia atacante Caio Rosa revelado pelo Volta Redonda e emprestado ao time mineiro e negociado para o exterior pelo Cruzeiro.

Árbitro sérvio é condenado a prisão por marcar pênalti inexistente

O árbitro Srdjan Obradovic foi condenado a 15 meses por abuso de poder. Em 2018, o juiz marcou um pênalti inexistente na partida entre Spartak Subotica e Radnicki Nis. Além disso, Srdjan também está proibido de exercer qualquer cargo na Federação Nacional de Futebol por dez anos.

A sentença ainda é passível de recurso e foi proferida pela Câmara Anticorrupção do Tribunal Superior de Novi Sad, segundo informações da agência de notícias sérvia Tanjug. O Spartak venceu por 2 a 0 após dois pênaltis, um deles então qualificado pela imprensa esportiva como “escandaloso”. Além disso, a equipe também estava com um jogador a mais em campo.

Se os Tribunais Brasileiros agissem da mesma forma , muitos erros grotescos e até com a conivência do VAR em certames oficiais não teriam acontecidos e até títulos mudariam de dono.