Jogadores do Flamengo aceitam redução salarial | Toque de primeira

Os jogadores do Flamengo querem ajudar, estão preocupados com os 62 funcionários demitidos e a situação geral devido à pandemia. O blog apurou com pessoas próximas aos atletas que partiu deles uma ação de redução dos salários. O formato ainda não foi decidido e acabou sendo retardado devido à recente mudança no formato de pagamento dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro comunicada pela TV Globo. “O grupo está em busca de mais informações para tudo ser feito da melhor forma. Eles estão negociando e esperando o Flamengo há mais de 10 dias, mas nada foi resolvido ainda”, disse um dos ouvidos pelo blog. Desde o começo os jogadores teriam até se colocado à disposição.

Do lado dos dirigentes, há certa demora e cautela na tomada de decisão pelas inúmeras variáveis e toda a complexidade que envolve a medida. Atletas ganham parte da remuneração em carteira de trabalho e podem receber até 40% do valor mensal como “direito de imagem”. O diálogo com a diretoria é considerado “o melhor” e de muita confiança. Eles sugeriram ações para interagir com torcedores, gerar conteúdo e até mesmo receita.

Os jogadores não foram comunicados sobre as demissões de funcionários, até por ser uma decisão administrativa. Eles tomaram conhecimento pela imprensa. A Globo anunciou há alguns dias mudanças na forma de pagamento pela Série A. As parcelas de abril a dezembro seriam iguais, agora ela efetuará o pagamento em prazo mais longo, elástico. Em tese, os clubes vão receber o previsto para o período de abril a dezembro, mas valores menores do que o original nos primeiros meses, com a diferença acrescida às últimas parcelas.

Fonte: coluna Mauro Cezar Pereira (UOL)

Neymar recusa proposta de renovação tentadora do PSG

Neymar recusou uma oferta de cerca de 100 milhões de euros (R$ 593 milhões) do Paris Saint-Germain, pois segue com o objetivo de ser transferido para o Barcelona na próxima janela, de acordo com o “Mundo Deportivo”. Esse montante seria apenas um prêmio ao brasileiro por renovar e manteria as condições do atual acordo que gira em torno dos 50 milhões de euros (R$ 296 milhões) devido aos compromissos comerciais com o Qatar National Bank.

Apesar da crise financeira imposta pelo coronavírus ser um obstáculo, o brasileiro está disposto a fazer sacrifícios para que os culés possam assumir sua contratação. O atacante está disposto a ter metade do seu salário cortado para retornar à Catalunha na próxima temporada. Dessa forma, o acordo verbal que o craque tinha com a equipe de manter as bases salariais da primeira passagem pode ser revisado.

Os blaugranas esperam chegar em um acordo com o PSG para que ocorra a transferência, pois a ideia de ir à Fifa para forçar a contratação do camisa 10 não agrada os dirigentes catalães. O passe do craque pode girar em torno dos 180 milhões (R$ 1 bilhão). Neymar segue empenhado em regressar ao Barcelona, fato que tentou na última temporada e não conseguiu realizar.

Botafogo não voltará a campo durante a Pandemia

Depois do dirigente Carlos Augusto Montenegro ter garantido que o Botafogo não vai retomar as atividades esportivas até que tenha garantia da segurança das autoridades de saúde, o técnico Paulo Autuori engrossou o coro dos insatisfeitos com a pressão para o retorno aos gramados. O treinador alvinegro considerou uma enorme falta de respeito com os profissionais a realização de treinos e jogos em meio a pandemia do coronavírus. 

– Me parece uma sandice falar sobre o retorno das equipes de futebol neste momento. Falta de respeito diante de tantas mortes e sofrimentos. Demonstra uma preocupante falta de conhecimento dos responsáveis a favor dessa medida sobre a complexa rotina dos treinamentos de futebol. Ausência de preocupação e de respeito aos profissionais, especialmente daqueles mais sacrificados, que não são jogadores nem membros da comissão técnica. Nós, profissionais, merecemos respeito. Querem futebol de volta? E daí? Lamento –disse Autuori, em entrevista ao Programa Esporte Espetacular, da TV Globo. 

O treinador, como se pôde ver, usou uma expressão do presidente Jair Bolsonaro, que recentemente deu a entender que nada pode fazer para conter as mortes causadas pelo coronavírus no Brasil. Autuori, no entanto, tem um discurso contrário ao do governante, que apoia a volta do futebol.

A polêmica teve início na última semana, quando o Ministério da Saúde emitiu um parecer favorável ao retorno do futebol, sob o argumento de que as transmissões das partidas pela TV ajudariam a manter as pessoas em casa. No Rio de Janeiro, um dos estados com maiores índices de letalidade pelo Covid-19, a Federação Carioca aguarda autorização da Secretaria Estadual de Saúde para tomar medidas. O decreto de isolamento no estado foi estendido até 11 de maio e o municipal, da capital, até 15 de maio

Fluminense lança nova camisa nesta quarta feira

Fluminense anunciou, para esta quarta-feira  a data oficial do lançamento dos novos uniformes do clube produzidos pela marca Umbro. Em razão da pandemia do coronavírus, a apresentação do material será feita por uma transmissão ao vivo no canal FluTV, no Youtube, na próxima quarta-feira, às 19h (de Brasília). O evento virtual terá ainda um show do cantor Xamã. A loja oficial do clube colocará a coleção à venda logo após o lançamento. 

A Umbro assumiu o lugar da Under Armour como fornecedora de materiais esportivos do clube, em dezembro do ano passado. A troca é vista pelo Tricolor como uma oportunidade de ampliar a distribuição das peças por todo o país e aumentar o valor arrecadado com as vendas, depois que a fornecedora anterior teve dificuldades neste sentido

Será a primeira vez que marca inglesa será responsável por confeccionar toda a linha de material esportivo do clube carioca. A previsão inicial de lançamento era entre março e abril para a disputa do Campeonato Brasileiro, mas as medidas de segurança impostas pela pandemia do Covid-19 adiaram os planos. 

Federação do Rio deixa a cargo dos clubes decisão de retomar atividades

Por meio de uma resolução publicada neste domingo, a Ferj deixa a cargo dos clubes do Rio de Janeiro a decisão de retomar as atividades em seus CTs. O documento apenas exige que a volta aos treinos esteja condicionada ao cumprimento dos protocolos a fim de evitar o contágio do coronavírus. Por conta do COVID-19, o Campeonato Carioca está suspenso desde 16 de março.

O documento indica a “futura complementação das partidas” do Estadual, além de determinar três pilares que devem ser observados no retorno às atividades de futebol: “comprometimento com a saúde e a vida alheia mediante cumprimento de diretrizes de autoridades competentes”; “obediência às determinações governamentais”; e “seguimento de procedimentos e protocolos técnicos e científicos recomendados à proteção individual e coletiva”.

Manoel Alves (ACERJ 0242)